quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Nissan é atingida por novo escândalo de inspeção depois da prisão de Ghosn


A Nissan planeja realizar outro recall devido a testes "impróprios" em novos veículos, disse um jornal nesta quinta-feira, em um golpe repentino na gigante automobilística japonesa após a prisão do ex-presidente Carlos Ghosn.A última edição foi descoberta depois que autoridades do Ministério do Transporte realizaram inspeções no local nas principais fábricas de montagem da Nissan, informou o jornal de negócios Nikkei.

Vários funcionários admitiram que realizaram testes "impróprios" em freios e outros sistemas antes do embarque, disse o jornal, sem especificar quantos carros foram afetados.A Nissan planeja fazer um anúncio sobre o caso no final deste mês e está considerando a possibilidade de retirar qualquer veículo indevidamente testado, acrescentou.A confirmação imediata do relatório não estava disponível.O fabricante foi forçado a retirar mais de um milhão de veículos no ano passado depois de admitir funcionários sem a devida autorização, tendo conduzido inspeções finais em algumas unidades destinadas ao mercado interno antes de serem enviadas aos revendedores.

Em um caso separado que surgiu em julho, a Nissan admitiu que os dados sobre as emissões de escape e economia de combustível foram deliberadamente "alterados", dificultando seus esforços para recuperar a confiança após a inspeção do escândalo.Se confirmado, isso representaria outro golpe para a companhia, que foi abalado desde que Ghosn foi preso em 19 de novembro, sob alegações de que eu subestimei seu salário em milhões de dólares em cinco anos.