segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Nissan iniciará conversações sobre reforma em meados de janeiro

TÓQUIO (Jiji Press) - Um comitê especial formado pela Nissan Motor Co. para discutir a reforma da governança da montadora iniciará conversações completas já em meados de janeiro, informaram fontes nesta sexta-feira.

O painel foi formado na sequência de um escândalo financeiro de alto perfil envolvendo o ex-presidente da Nissan, Carlos Ghosn.

O painel de sete membros, presidido pelo advogado Seiichiro Nishioka, Sadayuki Sakakibari, ex-presidente da Federação de Negócios do Japão (Keidanren), e diretores externos.

O painel deve considerar medidas, incluindo medidas para aumentar a transparência no processo de decisão da remuneração dos executivos, já que a Nissan acredita que o escândalo estava enraizado na concentração de autoridade em Ghosn. Ele irá elaborar recomendações até o final de março.

Um ponto focal será se o painel colocar a culpa pelo escândalo no presidente e CEO da Nissan, Hiroto Saikawa. Assim como Ghosn, a Nissan foi indiciada como uma empresa no início deste mês por não divulgar parte de sua compensação.

Saikawa expressou forte pesar por não ter evitado a má conduta.

O painel especial também discutirá a parceria da Nissan com a montadora francesa Renault SA se a aliança "desequilibrada" for suspeita de ter implicações negativas na governança da empresa japonesa, disse uma fonte familiar.

A Renault tem uma participação de 43,4 por cento na Nissan, muito maior do que a participação de 15 por cento da Nissan na Renault. Enquanto a Nissan não tem direito a voto na Renault, a fabricante francesa tem o direito de enviar oficiais de alto nível para o parceiro japonês.A Nissan é maior que a Renault em termos de capital e pessoal.