sábado, 12 de janeiro de 2019

Nissan diz que a nova bateria de 62 kWh-Leaf tem células AESC


As células da bateria para o novo Nissan Leaf com uma bateria maior continuam a vir da AESC. O porta-voz da Nissan, Jeff Wandell, rejeitou ontem a notícia de que as células LG Chem são usadas na bateria de 62 kWh.Com a nova bateria, a densidade de energia aumentou em 25% e a capacidade de armazenamento em 55% em comparação com a versão de 40 kWh. Em vez de 192 células, a memória química maior agora consiste em 288 células. Ainda assim, o novo pacote de força não apresenta nenhum resfriamento extra, um problema que a montadora japonesa insiste em controlar, apesar do escândalo Rapidgate do ano passado.




Segundo o porta-voz da Nissan, Wandell, a divisão de baterias da Automotive Energy Supply Corporation (AESC), incluindo as instalações de produção de baterias em Smyrna (Tennessee, EUA) e Sunderland (Inglaterra), continua a pertencer à Nissan. Isso é uma surpresa, já que a Nissan anunciou a venda da AESC para o japonês Envision Group em agosto de 2018. Um possível plano para vender a empresa para o grupo chinês GSR Capital foi descartado.AESC não só fabrica células de bateria e baterias para a sua empresa-mãe Nissan, mas também as oferece a terceiros. Seus clientes incluem o Alfabus da China.