sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Ex-presidente da Nissan detido, Ghosn se recupera de febre



TÓQUIO (AP) - O ex-presidente da Nissan, Carlos Ghosn, se recuperou de uma febre, disse seu advogado Motonari Ohtsuru nesta sexta-feira, quando o último período de detenção do executivo de 64 anos expirava.

Sua esposa Carole Ghosn emitiu um comunicado durante a noite fora de Paris, expressando preocupação com sua doença.

"Estou suplicando às autoridades japonesas que nos forneçam qualquer informação sobre a saúde de meu marido. Estamos com medo e muito preocupados que sua recuperação será complicada enquanto ele continuar a suportar condições tão duras e tratamento injusto", disse ela.

Médicos do Centro de Detenção de Tóquio afirmaram que as visitas e questionamentos devem ser adiados para permitir que Ghosn descanse depois que ele teve uma febre de 38,8 graus na quarta-feira.

Além dos promotores, apenas os funcionários da embaixada e os advogados de Ghosn podem visitá-lo.

Sua detenção por suspeita de quebra de confiança estava marcada para terminar na sexta-feira e as chances de ele ser liberado sob fiança permaneceram incertas. Suspeitos no Japão são rotineiramente mantidos por meses até o início do julgamento. Os promotores podem apresentar novas alegações ou acusá-lo.

Na terça-feira, Ghosn, um francês nascido no Brasil e de ascendência libanesa, disse a um tribunal de Tóquio que ele era inocente, em sua primeira aparição pública desde sua prisão em 19 de novembro. O tribunal rejeitou um recurso dos advogados de Ghosn para sua libertação, e na quinta-feira recusou outro recurso.

Durante a audiência de terça-feira, Ghosn apareceu muito mais magro do que antes de ser preso. Anteriormente, ele havia solicitado condições mais confortáveis ​​do que as normalmente fornecidas no centro de detenção. Ele foi transferido para um quarto maior com uma cama estilo ocidental, de acordo com Ohtsuru.