segunda-feira, 2 de julho de 2018

Nissan Frontier que será produzida em Córdoba é resultado de dois anos de desenvolvimento na América Latina



Versão argentina da picape passou por mais de 90 testes diferentes para garantir ainda mais qualidade e dirigibilidade nas condições de condução da região


CÓRDOBA, Argentina – A Nissan Frontier começará a ser produzida em série na fábrica de Córdoba, na Argentina, nas próximas semanas, apoiada por uma herança global de mais de 80 anos da marca na fabricação de picapes. Antes de fazê-lo entrar na linha de produção, a Nissan submeteu o modelo a rigorosos estudos e testes por mais de dois anos para garantir que ele atendesse ainda mais às necessidades do mercado latino-americano, sob os mais altos padrões de qualidade japonesa.
Esta nova geração da Nissan Frontier chegou oficialmente ao Brasil em 2017, originalmente produzida no México. E, para isso, a marca realizou vários estudos para produzir uma versão que atendesse às necessidades dos clientes e aos diversos tipos de uso.
"A experiência nos mostra que os clientes latino-americanos preferem, e escolhem, veículos projetados para as características da região", disse Sergio Casillas, vice-presidente de Operações e Manufatura da Nissan América Latina. "A qualidade da Nissan, juntamente com nossos processos de design e produção e nosso profundo conhecimento da América Latina, garantem uma Frontier produzida na Argentina com as especificações que os clientes exigem", acrescentou Casillas.
As pesquisas e estudos realizados tiveram como foco as concessionárias, consumidores e também clientes frotistas - principalmente dos setores de mineração, petróleo, silvicultura e agricultura – na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai e Peru. Assim, a picape produzida em Córdoba incluirá modificações que a tornarão ainda mais ágil e com maior conforto e resistência. Pensando nas condições de uso extremo em setores como a mineração e a agricultura típicas da região, foram feitos ajustes que garantirão a melhor qualidade, com base nas condições de condução influenciadas por fatores como terreno e clima.
Para certificar as mudanças, uma equipe global de mais de 120 especialistas da Nissan, incluindo engenheiros, técnicos e pilotos do Brasil, Argentina, Espanha, Estados Unidos, Japão e México participaram de um exaustivo processo de avaliação. Somam-se a isso mais de 90 testes e validações dinâmicas e estáticas para garantir que a Frontier argentina atenda às necessidades reveladas durante os estudos.
Entre os vários testes realizados, foram pesquisados:
  • Avaliação do desempenho em diferentes situações: com condições distintas de peso, caminhos retos, planos, irregulares e sinuosos e em diferentes temperaturas e altitudes, em terrenos que vão desde o nível do mar até 3.800 metros de altura
  • Testes de capacidade de arrasto sob condições de baixa e alta velocidade, em diferentes tipos de superfície e estrada
  • Avaliação dos níveis de ruído, vibração e trituração bem como o desempenho geral com temperaturas variando de -30°C a 50°C com o uso de câmaras climáticas em laboratório
  • A aparência geral da carroceria, molduras, tintas, luzes, interiores e qualidade dos acabamentos em geral
  • Exame da suspensão, direção, aceleração, estabilidade, sistema de freios e iluminação
  • Avaliação do isolamento acústico em geral, como ruídos de vento e motor, para garantir conforto
  • Avaliação dos sistemas elétricos, eletrônicos, de refrigeração e ar-condicionado
  • Testes de durabilidade de componentes independentes e da carroceria em câmaras de laboratório
  • Validação da hermeticidade com testes sob diferentes condições de chuva.
A última parte da fase de pré-produção consiste em uma série de testes realizados por pilotos em terrenos reais, bem como em laboratório. A picape está sendo testada viajando milhares de quilômetros em países da América Latina para concluir essa etapa. Depois disso, a fábrica de Córdoba estará preparada para iniciar formalmente a produção da Nissan Frontier para venda ao consumidor final.
O projeto de produção na planta de Córdoba para a fabricação de três picapes diferentes, começando com a Nissan Frontier, que foi anunciado em 2015 pela Renault-Nissan-Mitsubishi, representa um investimento de US$ 600 milhões.