segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Carros com sistema start-stop

Dirigi por alguns dias um Renault Sander 1.6 com o sistema start-stop. Basicamente, o sistema desliga o motor nos momentos em que você para o carro, em semáforos ou mesmo nos congestionamentos mais intensos.

Quando parado em um semáforo, aparentemente o carro mantém apenas os sistemas essenciais funcionando, já que tudo passa a depender totalmente das baterias do carro. Claro que o ar condicionado deixa de funcionar, mas se for uma parada rápida, a gente nem chega a sentir a diferença de temperatura.

No caso, eu andei num carro manual. Parar o carro no semáforo e deixar o carro em N faz o motor a combustão parar. Ao pisar na embreagem, o carro entende que o motorista vai arrancar, e o motor de arranque põe o motor a combustão para trabalhar novamente. Tudo em questão de décimos de segundo. Mas não sem que cause uma certa apreensão em motoristas como eu, que acostumaram a dirigir em carros tradicionais mais antigos.

Sente-se um leve tremor no carro quando o sistema põe o motor a funcionar, mas pelo menos o silencia ao parar no semáforo é muito grande, em especial para aqueles como eu que preferem andar com todos os vidros do carro fechados.

E não tem como não imaginar que este tipo de sistema provoca algum tipo de desgaste grande em componentes, apesar de todo esforço dos engenheiros automotivos.

Opinião pessoal, do ponto de vista da economia de combustível, adorei. Do ponto de vista do funcionamento do carro, fiquei apreensivo.