quarta-feira, 13 de junho de 2018

Bolhas nos pneus

Bolhas nos pneus: Se houver alguma em seu pneu, troque-o imediatamente e reveja os seus cuidados ao volante
























Bolhas nos pneus: Tal como um tumor, sem aviso prévio, elas podem aumentar de tamanho e se romper a qualquer momento, o que leva a uma perda de pressão repentina e, assim, os riscos de acidentes são iminentes. Sendo assim, a Continental - uma das maiores fabricantes de pneus - falou sobre o assunto e separou algumas dicas para alertar sobre o que pode ser feito para a preservação dos seus pneus, logo da sua segurança.
Segundo afirma a Continental, no Brasil, os danos relacionados a impactos estão entre os três fatores que mais respondem pela retirada de um pneu prematuramente de serviço. Sua equipe de atendimento ao cliente contabiliza anualmente cerca de 2.500 registros de carros que chegam com bolhas nos pneus , em todo o Brasil.
Além disso, lembra que, na maioria dos casos, as bolhas são causadas por impactos contra buracos nas vias ou contatos contra o meio-fio, gerando o rompimento da lona de corpo de poliéster dos pneus. Isso faz que com que o ar pressione a borracha para fora, criando essa protuberância. Elas também podem surgir se os talões forem danificados durante o processo de montagem dos pneus nas rodas.
“Muitas vezes ignoradas pelos motoristas, as bolhas são muito perigosas, pois podem aumentar de tamanho e se romper a qualquer momento, causando uma súbita perda de pressão. Elas não podem ser ignoradas de forma alguma e o seu surgimento inutiliza o pneu, que deve ser substituído imediatamente. Vale lembrar que os processos de vulcanização disponíveis no mercado apenas mascaram o problema e não o corrigem em definitivo, mantendo o risco de falha do pneu”, explica Rafael Astolfi, gerente de assistência técnica da Continental Pneus.
Numa situação de emergência, em que seja impossível trocar o pneu, opte por manter a bolha nas rodas dianteiras. Se um pneu da frente estouraR, o condutor pode conseguir reverter o comportamento imprevisível do carro mudando a direção do volante. Isso porque quando um pneu do eixo traseiro arrebenta, é mais difícil controlar o veículo.
Após saber dos riscos dessa anomalia, veja a seguir as dicas dos especialistas no assunto :
♦ Sempre calibrar os pneus observando a pressão correta para evitar deformações excessivas nas laterais caso ocorra um choque;
♦ Evitar o contato dos pneus contra o meio-fio;
♦ Evitar subir com o veículo em calçadas;
♦ Se o impacto contra um buraco for inevitável, procurar reduzir a velocidade ao máximo, soltar o freio e manter a direção reta;
♦ Para evitar as bolhas nos pneus causadas por talões danificados, tanto o pneu como a roda devem ser adequadamente lubrificados no momento da montagem. Daí a importância de buscar um profissional habilitado que empregue o maquinário adequado.