quinta-feira, 17 de maio de 2018

Renault Mégane

Importado da Argentina, o Renault Mégane não conseguiu reproduzir no Brasil o mesmo sucesso de outros países
























O Mégane era um hatch com cara de cupê, seguindo uma linha semelhante a do Astra que foi lançado no Brasil na mesma época. Ele vinha da Argentina, substituindo o Renault 19 nas concessionárias da marca. Sua mecânica apostava no motor 1.6 8V, de 90 cv, e 2.0 8V, de 115 cv.
O Mégane continua sendo o carro-chefe da Renault no segmento de hatches médios que faz tanto sucesso na Europa
Divulgação
O Mégane continua sendo o carro-chefe da Renault no segmento de hatches médios que faz tanto sucesso na Europa

A segunda geração do Mégane foi importada como sedã e perua. O hatch ficou de fora por apostar muito na excentricidade. Anos depois, o Renault Mégane R.S. não só foi cogitado pela marca, como também foi apresentado à imprensa especializada em meados de 2014. O dólar subiu e os franceses desistiram de trazê-lo. Ele foi recordista na pista de Nürburgring Nordschleife em 2011, na categoria de carros de tração dianteira.
Na Europa, o modelo continua sendo vendido normalmente em sua nova geração. Não há qualquer chance do Mégane retornar ao Brasil, uma vez que as vendas do segmento de médios não empolgam nem Chevrolet, Volkswagen e Ford. O Fluence, por exemplo, acabou de deixar de ser vendido no Brasil.